Qual melhor vinho para tomar com sushi

Alguém se arrisca em indicar um bom vinho para comida japonesa?

De modo geral, os vinhos brancos, rosés e espumantes são os mais indicados para acompanhar a comida japonesa, normalmente de preparo detalhista e sabores delicados.

As comidas mais leves, assim como o sushi, podem acompanhar um vinho leve, enquanto as comidas mais fortes, combinam com um vinho mais intenso, principalmente nos casos de frutos do mar acompanhados com outras receitas.

Antes de sair harmonizando, fique atento a algumas dicas sobre os acompanhamentos:

Raiz forte: muita gente torce o nariz para ela, outros a amam. Também conhecida como wasabi, a raiz forte é um tempero verde e picante. De tão intenso, ela interfere na percepção dos sabores, porque afeta as papilas gustativas. Ao apreciá-la com vinho, evite o excesso do ingrediente para não comprometer a experiência.

Shoyu: como ele leva muito sal em sua composição, o molho pode amargar o vinho, gerando uma sensação nem tão agradável na boca.

Teriyaki: este é aquele molhinho doce delicioso. Geralmente, o salmão grelhado leva uma pitada de teriyaki. Mas aqui cabe outro alerta. A intensidade e doçura deste ingrediente pode se sobressair quando combinado com alguns vinhos.

Os sushis e sashimis são os pratos mais tradicionais da culinária japonesa. Para combinar suas porções com os vinhos certos, opte por rótulos de espumantes jovens e delicados ou vinhos rosés. Assim eles não vão competir com o discreto sabor desses cortes de peixe.

Os espumantes, que são ácidos e com sabor delicado, para acompanhar essas receitas. Os vinhos verdes também podem ser uma ótima opção! Para quem vai de vinho rosé, vale testar a combinação dessas bebidas com peixes de carne mais escura como o atum, por exemplo.

@Biancapalhares de forma geral.

  • Frituras (Tempura, Korokke e Karaage): pedem por vinhos leves e com boa acidez, como espumantes espanhóis refrescantes e o branco Chardonnay.

  • Grelhados (Gyoza, Robatayaki e Missoyaki): eles harmonizam com vinhos brancos mais encorpados, como o Chardonnay, ou com o vinho rosé.

  • Caldos e massas (Yakisoba, Lámen e Missoshiro): com os pratos mais pesados, contraponha com um Pinot Noir; já os mais leves pedem vinhos mais marcantes, como um Malbec.

  • Moluscos e crustáceos (polvo, ostras e camarão): evite os tintos neste caso. Faça a harmonização com exemplares brancos de Pinot Grigio, Riesling, Sauvignon Blanc ou até mesmo com o vinho verde.

  • Cogumelos (Shitake e Shimeji): cogumelos escuros pedem tintos mais proeminentes, como o Chianti ou o Carmènére; já os mais claros combinam com tintos leves, como o Pinot Noir, e vinhos brancos.

Apesar do vinho tinto não ser um dos mais consumidos com comida japonesa, existem algumas opções que se destacam nessa união. Como os tintos são mais intensos e algumas uvas os deixam ligeiramente mais fortes, o indicado é escolher os vinhos que não tenham passado pelos barris de carvalho, que dão mais intensidade ao sabor.